31 de mar de 2017

Resenha: O Código da Febre (Maze Runner #0.5), James Dashner


Editora: Plataforma 21
Número de páginas: 370
Data de publicação: Setembro de 2016


Era uma vez o fim do mundo.
Florestas foram queimadas, lagos e rios secaram, oceanos transbordaram. 
Uma peste febril se espalhou pela Terra, dizimando famílias inteiras. Homem matou homem. A violência reinou. Não havia mais lugares seguros.
Então, surgiu o CRUEL. Pesquisa após pesquisa, essa organização não mediu esforços para encontrar respostas... para encontrar a cura. 
O CRUEL fez testes em crianças. Algumas delas, além de imunes, eram especiais... como Thomas e Teresa. 
Juntos eles foram designados a trabalhar em um experimento: o Labirinto.
Mas, ao que parece, nem tudo foi dito. Segredos e mentiras irão perturbar Thomas. Quais relações de lealdade são realmente verdadeiras? 
O código da febre é a aguardada prequel da saga Maze Runner. Prepare-se, porque nada será como antes. Todas as respostas serão reveladas.


        O Código da Febre é o tão esperando prequel da distopia de sucesso Maze Runner. Foi prometido para os leitores obcecados pela série um volume que mostrasse como, afinal, foi construído o Labirinto e como era a vida de Thomas e seus amigos antes de se reunirem na Clareira.

        Quando fiquei sabendo da proposta do livro, fiquei um pouco em dúvida se um livro feito apenas para satisfazer a vontade dos fãs de conhecer um pouco mais seus personagens favoritos seria uma boa ideia.

        A verdade é que me decepcionei muito, pois, como eu esperava, o livro praticamente não tem história. São 370 páginas narrando o cotidiano de Thomas nas dependências do CRUEL, e nada do que ainda não sabíamos ocorre, exceto por apenas algumas pequenas revelações que nada afetam a história em geral. A impressão é a de que o autor queria que nos afeiçoássemos ainda mais àqueles personagens (apelando mais para aqueles que já sabíamos que iriam morrer futuramente) mas isso, pelo menos comigo, não ocorreu. É difícil nos apegarmos à uma história que nós já sabemos para onde será levada.

        Enquanto literalmente nada acontece durante todo o livro, exceto explicar (novamente) por que adolescentes estão sendo testados, uma única revelação inédita é deixada para o epílogo do livro. Ou seja, um livro de 370 páginas para explicar uma pequena coisa que antecede os acontecimentos de Correr ou Morrer (livro 1).

        Uma prequel fraca que deixou muito a desejar. Ainda prefiro muito mais Ordem de Extermínio, o livro que explica como vírus foi espalhado e que conta com novos personagens. Recomendo para aqueles que realmente amam a série e querem saber pelo menos um pouco mais sobre os personagens.

Por: Mariane

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs