31 de mai de 2017

Resenha: O Mar Infinito (A 5ª Onda #2), Rick Yancey


Editora: Fundamento
Número de páginas: 248
Data de publicação: Setembro de 2014

Cassie Sullivan e seus amigos sobreviveram às quatro ondas de destruição provocadas pelos Outros. Agora, com a raça humana quase exterminada e a 5ª Onda encobrindo a Terra, os sobreviventes devem escolher: encarar o inverno e esperar o retorno de Evan Walker ou partir à procura de abrigo antes que o inimigo os alcance. Porque o próximo ataque é mais do que possível – ele é inevitável. Os homens ainda não viram as profundezas até onde os Outros podem descer nem os Outros viram a que alturas a humanidade pode se erguer. Esta é a derradeira batalha entre vida e morte, esperança e desespero, amor e ódio.


            Após uma experiência agradável com o primeiro livro da série (e filme), "A 5ª Onda", resolvi dar uma chance à continuação que prometia responder algumas perguntas deixadas ao final do primeiro romance. E eu, que sou a louca das distopias (pelo menos, era), sempre gosto de me atualizar um pouco nas séries infanto-juvenis do gênero. Demorei um pouco para pegar o segundo livro, então comecei a leitura me lembrando de pouquíssimas coisas que haviam acontecido, o que me deixou extremamente confusa em relação à localização dos personagens (o que o autor não faz muita questão de esclarecer).
            
            Não refrescar a memória do leitor em relação aos acontecimentos prévios é apenas um dos muitos problemas de "O Mar Infinito". Consideravelmente menor que o livro anterior, tudo o que eu conseguia pensar ao virar as páginas era como esse foi um livro desnecessário em todos os sentidos. Literalmente nada acontecia com Cassie e seus amigos refugiados e os personagens perderam grande parte da carisma conquistada no primeiro romance.

            A escrita empobrecida e confusa - tenho dúvidas se pode ter sido responsabilizada pela tradução, que deixou muito a desejar com erros grotescos de pontuação e concordância - dificultou muito a minha experiência e diversas vezes tive vontade de desistir. Diálogos fracos e a narrativa em primeira pessoa com pensamentos soltos e aleatórios me irritavam profundamente.

            A verdadeira ação é reservada para as últimas páginas do livro, narradas da perspectiva da única personagem verdadeiramente interessante - e com quem eu realmente me importei - na história. Porém, nem mesmo as revelações, um romance um pouco menos forçado e o desenvolvimento da personagem me encorajaram a dar continuidade na série. Me despeço aqui de "A 5ª Onda", que tinha uma boa proposta e possibilidade de se desenvolver, mas apresentou um livro fraco e irrelevante. Não foi dessa vez, Yancey.

Por: Mariane

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Link-nos!

 - Dicas para blogs